Diretor de Mortal Kombat: Rebirth fala sobre o universo da franquia, de censura e do futuro da série

Entrevista publicada online em 16/05/11 pelo site IGN, antes do lançamento dos episódios 6 e 7.

IGN TV: Como Mortal kombat: Legacy evoluiu para uma série mais centrada na mitologia? A Warner resistiu às idéias que você introduziu em Mortal Kombat: Rebirth, seu curta mais realista?

Kevin Tancharoen: Na verdade a Warner foi muito receptiva com a minha visão. Mas esta série foi mais baseada em torno do jogo, que logo seria lançado. Então eles queriam ter certeza de que esta web série tivesse o máximo possível de histórias no universo Mortal Kombat e do novo jogo. Com isso dito, fui autorizado a colocar um punhado de minhas idéias lá. Mas o design geral da série é para ajudar a promover o jogo, trazer o nome Mortal Kombat de volta. E todos querem ver um Mortal Kombat live-action. Este é um ótimo jeito de fazer tudo isto ao mesmo tempo.

Kevin Tancharoen no set com Jeri Ryan

IGN TV: Quão envolvidos estão os criadores do game na série?

Tancharoen: Nós trabalhamos ao lado de Ed Boon, co-criador do jogo. Ele foi fundamental, inserindo o universo à série.

IGN TV: Como você fez para adaptar a franquia para uma web série, com um orçamento tão limitado?

Tancharoen: Isto sempre foi um desafio. Acho que para todo diretor, a menos que você seja um James Cameron, sempre haverá restrições que desafiarão sua imaginação quando você começa a pensar na idéia. Uma web série propicia muito mais dificuldade só pelas razões de orçamento, e assim por diante. Eu realmente tentei escolher as lutas baseado em efeitos visuais. Quando você cria lutas mais mitológicas, seu orçamento fica inflado. Por isso escolhi fazer a maior parte das histórias em um ambiente mais realista.

Jax, Sonya e Kano estão em um ambiente mais real. Raiden e Johnny Cage também. Peguei aquilo que com certeza teríamos que fazer com efeitos, como a luta de Scorpion e Sub Zero. Todos querem ver a magia de gelo e o arpão. Não pude pensar em colocar Mileena e Kitana em um mundo real sem torná-las meras assassinas – isto iria distanciar demais o vídeo do universo MK, então me afastei da idéia. Separei os que seriam fantasia e os que seriam realidade. Infelizmente, isto dividiu a audiência na metade. Muitas pessoas gostaram de minha visão realista, mas também havia muita gente ansiosa para ver fantasia.

IGN TV: Definitivamente é uma linha tênue com os fãs.

Tancharoen: Sim, muito tênue. Sinto que minha intuição para manter as coisas enraizadas na realidade é válida. Até agora o único episódio fantásico foi o de Kitana e Mileena, e parece ter sido um dos mais vistos, o que me surpreendeu. Só o que eu ouvia era “fantasia, fantasia! Queremos fantasia!” (risos). É interessante.

IGN TV: Pensei que o episódio de Mileena e Kitana seria como o primeiro. Parece que as pessoas entenderam que a série teria fantasia, mas viram os primeiros três episódios “reais” e quando viram fantasia parece que foram jogados para outro lado.

Tancharoen: Sim, o que estes fãs precisam ver é que esta série é como Batman: Gotham Knight ou Animatrix, com histórias diferentes, estilos e mitologias diferentes para cada curta. Acho que muita gente está se confundindo pelo fato de as coisas não terem ligação. Ela foi concebida para ser uma antologia em oposição a algo linear. A primeira temporada é essencialmente uma coleção das histórias dos personagens.

IGN TV: Mortal Kombat: Legacy continuará além da primeira temporada, ou será simplesmente uma minissérie?

Tancharoen: Sim, definitivamente. É possível que a segunda temporada aborde a estrutura do torneio no jogo. Meu desejo é adaptar a web série e um filme. Atualmente acho que posso fazer os dois, já que há muitos personagens no universo MK. O que não farei com um filme live-action é tentar colocar o máximo de personagens possível. Vimos o que acontece quando tentam fazer isso no segundo filme (Mortal Kombat: Aniquilação). Fica muito confuso e difícil de acompanhar. São praticamente várias participações especiais, os fãs não querem isso (risos).

IGN TV: O que houve exatamente com a censura dos episódios? Tenho certeza que você ficou chateado com isso.

Tancharoen: (riso) Fiquei bem frustrado. Nenhum diretor quer que seu material seja censurado, mas acho que faz parte da história da franquia (risos). A censura da série é estranha, mas não foi algo que fizemos, foi algo a que tivemos que reagir, aparentemente do Youtube.

Em algum lugar os pais estão pirando

Fico pasmo, já que há muita coisa pior do que isto (a violência na série) lá, mas é devido à popularidade que conseguimos. Houve vários pais que acharam inapropriado. Por causa disso o Youtube teve que colocar uma solicitação de idade nos vídeos. O meio termo que usamos foi censurar os episódios e lançar uma versão sem censura depois. Claro, o DVD será sem cortes e você não precisará se preocupar com isso (risos).

IGN TV: Qual é seu personagem favorito e como você fez para deixá-lo com seu estilo?

Tancharoen: Meu personagem favorito sempre foi Scorpion. Sei que é clichê responder isto, por ele ser tão icônico. Mas sempre me lembro que quando jogava MK e ele era sempre meu principal. E, para todos os propósitos, sua história é o clássico conto de vingança. Sempre gostei deste tipo de história, que está profundamente enraizada em uma narrativa clássica. Estou tentando adaptá-la de um novo jeito, mas colocando nela um personagem que todos já conhecem há bastante tempo. É também interessante, já que muita gente só o conhece como o cara que arranca o rosto e queima as pessoas. Elas não sabem como ele se tornou um spectro. Sua história é enraizada em emoção, e este é o ângulo que estou abordando.

IGN TV: O que você tem planejado para os episódios futuros?

Tancharoen: Há várias coisas chegando. Scorpion e Sub-Zero. Há uma história para Raiden que é mais na linha realista – você verá que é uma abordagem bem diferente. Será bem divertido.

IGN TV: Qual seu próximo passo como cineasta emergente?

Tancharoen: Um grande filme de ação. É algo que eu sempre quis fazer e um objetivo para mim.

Confira o texto original aqui.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Diretor de Mortal Kombat: Rebirth fala sobre o universo da franquia, de censura e do futuro da série

  1. Finalmente o homem veio contar o que todos nós sabíamos: que isto é uma publicidade comercial e nada menos do que isso.

    “o que estes fãs precisam ver é que esta série é como Batman: Gotham Knight ou Animatrix”

    Os fãs não precisam saber disso, os fãs querem que a série seja como Mortal Kombat e não como outra coisa qualquer.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s