Crítica: Mortal Kombat Legacy – Ep 8

IMDB: http://www.imdb.com/title/tt1842127/fullcredits#cast

Obs: Recomendo ver o oitavo episódio antes de continuar, o texto contém spoilers =) !

Não me decepcionei com este episódio por um motivo: não criei expectativas de ser impressionado. Fora o belo visual não há mais nada de impressionante nele – a não ser o fato de que os fãs foram enganados mais uma vez pela “brilhante” capacidade de Kevin Tancharoen de aplicar sua “nova visão” à história dos personagens.

Este “episódio” retoma a narrativa do anterior para conferimos a conclusão da história de Scorpion – sua batalha com Sub-Zero e seu desfecho trágico.

Infelizmente esta conclusão é prejudicada principalmente por dois elementos que deveriam contribuir para o clímax dramático do episódio, mas que acabam decepcionando muito e atrapalhando o desfecho.

  1. O primeiro (que considero apenas um erro experimental que merece ser relevado) foi dividir a história de Scorpion em dois episódios: o sétimo, que serviu para conhecermos o personagem e criarmos empatia com sua família, a fim de nos importarmos com os mesmos; e o oitavo, que mostra o desfecho trágico da história. Tancharoen e seus roteiristas seguiram direitinho a cartilha “como desenvolver personagens”, mas ter uma semana de intervalo entre a apresentação da história e seu desfecho prejudicou muito a tensão criada;
  2. O segundo (que merece repreensão por ser absurdamente ofensivo) é revelar, no fim do episódio, que não havia Sub-Zero algum! Este era apenas um disfarce de Quan Chi (Michael Rogers) para levar Scorpion ao Mortal Kombat. Admito que foi uma alternativa aceitável trazer o feiticeiro para a narrativa e criar de outra forma a rivalidade entre os ninjas, mas o que não admito é o episódio ter sido vendido como o embate entre os dois maiores ícones da franquia – o que não acontece realmente.

O quê? Não havia Sub-Zero?

Aliás, eu realmente não entendo o porquê do oitavo episódio ser tão curto, visto que ele já seria reduzido pelo previously inevitável. Parece que os tão aguardados desfecho e clímax da história simplesmente não mereceram maior atenção dos realizadores (com certeza orgulhosos por terem provado sua “genialidade” só com a apresentação dos personagens). Muito menos desenvolvida foi a luta entre os dois ninjas, que é curtíssima e tem pouco mais de 1 minuto (talvez pelos realizadores acharem que mostrar apenas dois golpes do jogo já seria o bastante). Prefiro a luta energética de Scorpion e Johnny Cage no filme de ’95, que tem uma duração que caberia perfeitamente neste episódio – claro, se Tancharoen lembrasse que deveria dirigir Mortal Kombat (!) e não um projeto pessoal.  

Furos do roteiro/direção:

  1. Não há explicação para Scorpion ser consumido em chamas ao renascer, já que o personagem não apresentou nenhum indício de manipular fogo durante toda a história e lutou contra Quan-Zero (ou Sub-Chi) com artes marciais convencionais. Quer dizer que basta ser nomeado Scorpion para que o fogo seja aceito pelo espectador?
  2. Quan Chi nunca é apresentado devidamente durante sua micro-participação, sendo impossível para quem não é familiarizado com a franquia saber quem ele é e o que faz.
  3. Quan Chi simplesmente conversa com Scorpion para trazê-lo de volta à “vida”, quando o aceitável seria o feiticeiro conjurar algum tipo de magia (ou dar a entender que o fez) para que o ato aconteça.
  4. Há apenas uma razão plausível para Shang Tsung aparecer falando inglês em uma história que foi inteiramente desenvolvida em japonês: Tancharoen sabe que não apresentou o personagem devidamente e, se o colocasse também falando em japonês, correria o risco do público não o reconhecer. Isto ajudou a jogar o clima criado para a história no lixo.

"-Não conte para ninguém, mas eu não sei falar japonês!"

Com uma trilha sonora completamente inapropriada para um desfecho tão dramático, o episódio apenas mantém a média previsível dos outros e não traz nada memorável. Nem a magia de gelo, tratada com alarde por Tancharoen em entrevista, impressionou. Afinal, nem mesmo era Sub-Zero a usá-la não é? Que venha o penúltimo.

PS: Do jeito que a série caminha, grande parte dos dois episódios finais serão só a montagem dos robôs Sektor e Cyrax.

Anúncios

12 pensamentos sobre “Crítica: Mortal Kombat Legacy – Ep 8

  1. Fala Wendell. Não sei se você se lembra de mim mas comentei algumas de suas críticas sobre esse série e venho a concordar com essa. Achei esse episódio (digo isso com o 7 e o 8, que já saiu, como um só) medíocre. O espaço é lindo, mas achei que foi a única coisa positiva. A luta entre os 2 foi um lixo. Pra que dar 3 giros antes de dar um chute? Virou balé? Gostei da forma como ele utilizou os poderes do sub-zero com espada de gelo, estalactites saindo do chão e bola de gelo, porém tenho que dizer que achei o uniforme dele horroroso. Pra que um cara que produz gelo precisa usar um casaco de pele? Está com frio? Fala sério. O Scorpion não bate nada. Em fim, a série num todo não é nada que vá mudar minha vida. Acho a série antiga Conquest bem melhor que essa e me atrevo a dizer que tenho mais orgulho de ver MK Aniquilação que isso. Pra mim ela é apenas uma forma de um diretor pé rapado, que não entende nada de direção e MK, de fazer seu nome em Hollywood. Não quero que esse cara leve MK pro cinema. Prefiro esperar mais e mais e ver um filme sensacional que ver ano que vem uma coisa parecida com essa série. Minha humilde opinião. Abraço a todos.

    • Olá Glaucio! Me lembro de você, você comentou sobre Kitana e Mileena.
      Eu também não quero que este palhaço fique responsável por um longa metragem de MK! Se ele não pode contar uma história decente em apenas dez minutos, imagine as sandices que ele cometeria em duas horas!
      Minha esperança é que a Warner não tome os pageviews do seriado como garantia de sucesso para outro projeto deste diretor medíocre.

  2. Sem dizer que não era o Sub-Zero, mas sim o Quan-Chi transformado em Sub-Zero. Não era só Shang Tsung que tinha poder de transformação? Tudo isso o transforma em um diretor risível.

  3. Esta foi uma cagada épica. Minhas admirações camarada por ter conseguido fazer um post longo com essa merda, eu não encontraria onde pegar para criticar, porque foi tudo uma merda, o único ponto positivo é o previsiously que teve a menor duração.

    • Obrigado, hehe. Realmente o previously foi curtíssimo (tanto quanto a luta dos ninjas)! Mas sem finalidade alguma, já que o episódio foi mais curto também. Vai entender…

  4. Tinha comentado que não assistiria mais essa série antes de assistir ao episódio 6… De um tapa só assisti o 6, 7 e 8… Vou focar nos dois últimos dizendo apenas que odiei o episódio 6…

    Acreditei pelo inicio do 7 que contaria a história do Scorpion e no 8 daria uma reviravolta para contar a história do Sub Zero… Mas não…

    Achei que veria a luta mais fodástica do seriado… E foi… Decepcionantemente foi…

    Não gostei, o visual realmente arrebenta… Mas só… Vamos ver os dois últimos…

    MK Conquest realmente era mais incrível =P

    • Ainda bem que são episódios curtos, hehe! Cara, nem precisava ser uma luta tão fodástica quanto uma do Donnie Yen, mas pelo menos que durasse mais! As lutas do filme de ’95 são coreografias descaradas, mas pelo menos mostram mais preparo do que esta!

  5. Bom, eu gostei do episódio 7 e 8, não dos outros, também porque MK pra mim é o Scorpion e o Sub-Zero, como Street Fighter é Ryu e Ken.
    Voltando… eu vi crítica pelo fato das roupas dos personagens, gostei das roupas por serem mais reais, e não as roupas plásticas como nos filmes e seriados anteriores.A máscara do Scorpion é baseada nas máscaras dos samurais.O fato de ter o Quan-chi é totalmente correto, e pra quem acompanhou a saga após o MK II, sabe que foi o Quan-chi quem armou isso tudo. Esse é um erro da própria saga dos jogos do MK, que entra em contradições em vários momentos. Outra coisa, o Sub-Zero não é do mal, e o grande momento de Scorpion vs Sub-Zero é no primeiro MK, onde o ninja morto mata o de gelo erroneamente e se arrepende depois de saber a verdade.
    E concordo que a luta foi muito rápida, e que deveriam mostrar um episódio sobre a história do Sub-Zero e do irmão dele, o Tundra.

    Abraços

  6. Realmente concordo com os comentários !!! porem vale salientar que é melhor ver Mk Legacy do que os filmes já feitos sobre o Game !! Seria como comparar os filmes da franquia Batman (antigos como: Batman Returns e Batman Forever) com os atuais Begins & Dark Night !! Os dois ultimos mostram o lado mais sombrio do super heroi,como tb a historia do Raiden. Pq ele não saiu voando ???? Lógico ,se ele sai voando acaba o episódeo,depois que ele tomou a descarga elétrica do Taser ,foi que ele restaurou seus poderes !! Agora a do Sub Zero#fail foi foda !!!! Vacilaram !!

  7. Pingback: Crítica: Mortal Kombat Legacy – Ep 9 « WdLLCampos – Pensandão… Criticão!

  8. Tem total razão, eu só fui começar a assistir a serie agora, e vim parar no seu site porque realmente não entendi o fim do episódio, nunca tinha visto esse Quan Chi por isso fiquei totalmente perdido no fim do capitulo, gostei da serie mas o episódio do Raiden e esse do Scorpion decepcionaram.
    Parabens pela sua critica, realmente é uma ótima visão da serie.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s