Eleições 2010 – Algumas considerações

Não há como negar que é um péssimo dia para mim, visto que as eleições 2010 desde já são frustrações incondicionais. Geraldo Alckmin eleito governador é a mais deplorável possibilidade que existia. A cidade continuará um caos escancarado: no transporte público que não suporta a população; na limpeza urbana deprimente que nos obriga a viver na imundice; na segurança desvalorizada quase inexistente e na educação medíocre premeditada pelo PMDB, que prefere alunos analfabetos e professores com salários que fariam até catadores de papelão cair na gargalhada.

Porém a maior polêmica deste ano foi a eleição do humorista – e agora deputado federal – Tiririca. Não fiquei nem um pouco surpreso com esta eleição que eu já sabia ser certa desde o momento que vi a hilária propaganda do candidato que, convenhamos, foi perfeita e inevitável. É ridículo o tempo que os candidatos a deputado têm na televisão, não permitindo que os eleitores conheçam qualquer característica para se identificar com estes “desconhecidos”. Neste caso a concorrência com “celebridades” como Tiririca nem chega a existir devido à sua carreira na televisão, carisma humorístico e número ultra fácil de lembrar. Política é imagem, ganha quem tem a mais conhecida e, neste quesito, o palhaço tem vantagem esmagadora. Perfeito, inevitável. Pena que na prática isso não é nem um pouco engraçado.

A presidência realmente é uma incógnita que me deixa muito preocupado, tendo a eleição um segundo turno perigoso para o futuro do país. Não acho Dilma Rouseff a candidata mais preparada para o cargo, mas a possibilidade de ter José Serra na cadeira de líder o país é o pior pesadelo que se pode ter. A precariedade de São Paulo tomará proporções continentais além de que, se houvesse algum cargo mais alto que o de presidente para se candidatar, o vilão tucano desistiria do seu imediatamente visando o melhor para si, mau caráter como já provou ser mais de uma vez. Um importante exemplo disso está transcrito no brilhante texto do crítico de cinema Pablo Villaça (www.cinemaemcena.com.br), que pode ser conferido neste link:

http://www.cinemaemcena.com.br/pv/BlogPablo/post/2010/05/16/Por-que-votarei-em-Dilma-e-por-que-nao-votaria-em-Serra-JAMAIS.aspx.

Consistente e precisamente embasado, o texto reflete muito bem o que o candidato tem a oferecer ao brasileiro: uma bela torta na cara. Por favor, confiram!

PS: Sinto-me em Minas Tirith, vendo um ataque devastador sendo preparado pelo maligno Sauron, e sem poder fazer nada para evitar. Gandalf!!!